Marco Polo - Viagens

Marco Polo - Viagens

< 40 >
O velho da montanha

Muleete é o famoso lugar onde habitava, em tempos, o Velho da Montanha. Agora vou falar-vos do assunto, segundo o que o senhor Marco ouviu de muitos homens.
O Velho é chamado, na sua língua, de Aladino. Fez construir, num vale, entre duas montanhas, o maior e o mais belo jardim do mundo. Aqui havia todos os frutos e os mais belos palácios do mundo, todos pintados a ouro, com animais e pássaros; existiam certos regos de água, de mel e de vinho; havia aí donzelas de extrema beleza, peritas a cantar, tocar e dançar. E o Velho dava a entender a todos que aquilo era o paraíso. E fê-lo assim, porque Maomé disse que quem fosse para o paraíso encontraria belas mulheres à vontade e rios de leite, de vinho e de mel. Foi por isso que o fez semelhante àquilo que Maomé tinha dito; os sarracenos daquela região acreditavam plenamente que fosse o  paraíso.
Neste jardim, porém, só entravam aqueles que deviam tornar-se assassinos. À sua entrada, havia uma fortificação tão robusta que não era de temer surpresas de homens. O Velho tinha na sua corte todos os jovens da região, dos doze aos vinte anos, que lhe parecessem que se iam tornar homens fortes. Quando o Velho os fazia entrar no jardim em grupos de quatro, de dez, ou de vinte, mandava-lhes dar a beber ópio, e eles dormiam uns bons três dias e, depois, fazia-os levar para o jardim onde os despertavam.

< 41>

Quando os jovens despertavam e viam tudo o que vos disse, acreditavam verdadeiramente que estavam no paraíso. As donzelas faziam-lhes companhia, cantando e tocando muito alegremente, e com eles se deleitavam sempre que queriam; deste modo tinham tudo o que desejavam e por nada deste mundo deixariam aquele paraíso. O Velho tinha uma esplêndida e rica corte e fazia crer àquela gente simples da montanha que era um profeta.
Quando o Velho queria mandar matar alguém, ordenava que a certo número de jovens no jardim fosse dado uma poção soporífica, e mal adormeciam fazia-os levar ao seu palácio. Quando acordavam e se encontravam aí, ficavam muito admirados e muito tristes por se encontrarem fora do paraíso. Iam ter com o Velho e ajoelhavam.se aos seus pés, pois acreditavam que era um grande profeta; ele perguntava-lhes donde vinham. Respondiam: "Do paraíso"; e contavam-lhe tudo o que tinham visto lá dentro e o desejo de voltarem. Quando o Velho queria matar alguma pessoa, mandava apanhar o mais forte, e mandava-o matar quem ele queria.
E eles faziam-no de boa vontade para regressarem ao paraíso; se se salvavam, regressavam ao seu Senhor; se eram presos, queriam morrer, julgando que voltavam ao paraíso.
E quando o Velho queria mandar matar algum homem, apanhava-o e dizia-lhe: "Vá, faz tal coisa; mando-te fazer isto porque quero que regresses ao paraíso." Os assassinos iam e faziam-no de muito boa vontade. Desta maneira, não escapava à morte nenhum homem perante o Velho da Montanha, desde que ele não o quisesse; e digo-vos que muitos reis prestavam-lhe um tributo com medo de serem mortos.

Comments